Raio atinge sete pessoas e mata dono de bar e caminhoneiro em MT

Grupo de pessoas foi atingido por raio em Guarantã do Norte.
Testemunha diz que raio caiu em uma árvore perto das vítimas.

Um comerciante e um caminhoneiro morreram depois de serem atingidos por um raio, enquanto participavam de um churrasco em um bar, na cidade de Guarantã do Norte, a 721 km de Cuiabá. De acordo com a Polícia Civil, o proprietário do bar, Bernardo Rodrigues Aguiar, de 62 anos, e o caminhoneiro Sergilo Fonseca Neto, de 42, morreram após serem atingidos pela descarga elétrica. Outras duas pessoas também foram atingidas e encaminhadas para o hospital municipal da cidade.

O pedreiro José da Silva Ramos, de 48 anos, era uma das pessoas que estava no local e presenciou o incidente. Ele era amigo de Bernardo e Sergilo. “Nós estávamos em sete ou oito pessoas. O raio ‘derrubou’ sete pessoas. O dono do bar e o caminhoneiro morreram. Estávamos debaixo do pé de manga, a 10 metros de um arame de estender roupa. O raio caiu na árvore e nos atingiu”, declarou o pedreiro.

O comerciante e o caminhoneiro, e outras duas pessoas, foram levadas para o Hospital Municipal de Guarantã do Norte. De acordo com a direção da unidade de saúde, Bernardo e Sergilo não resistiram e morreram no atendimento.

Segundo o amigo das vítimas, os corpos de Bernardo e Sergilo estão sendo velados em uma funerária e em uma igreja evangélica de Guarantã do Norte. Um outro homem, de 45 anos, foi avaliado e liberado ainda no domingo. A quarta vítima, um homem de 35 anos, ficou internado e recebeu alta médica nesta segunda-feira (9).

Casos em Mato Grosso
De 2000 a 2014, ocorreram 97 mortes por raios em Mato Grosso, segundo estudo divulgado pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O estado é o 7º no ranking de mortes causadas por raios entre os dez estados onde ELAT possui sensores de descarga elétrica.

Os raios atingem principalmente pessoas durante atividades rurais (23%), que estão dentro de casa (19%), que estão próximas a veículos (11%), jogando futebol (8%) ou embaixo de árvores (8%). G1.MT

Responder

comment-avatar

*


*