Recursos de R$ 8 milhões para saúde em Mato Grosso já estão liberados

O Governo Federal liberou o recurso na ordem de R$ 8 milhões para compra de equipamentos para o Hospital Regional de Sinop. A liberação aconteceu após reunião entre o governador Silval Barbosa e o ministro da Saúde Alexandre Padilha, em Brasília. A disponibilidade dos recursos foi assegurada por uma emenda de Bancada ao Orçamento da União, apresentada no ano passado pelo deputado Carlos Bezerra, no total de R$ 9,7 milhões. Com a liberação do montante a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) reabriu chamamento público para a contratação de instituição (Organização Social de Saúde) para o gerenciamento do Hospital.

O Hospital de Sinop terá capacidade para atender a macrorregião que envolve outros 13 municípios servindo a cerca de 300 mil pessoas. Os recursos são para compra de blocos cirúrgicos, equipamentos de laboratórios, entre outros aparelhos. A unidade hospitalar conta com 112 leitos.

Outra conquista do Governo de Mato Grosso foi a liberação de R$ 5 milhões para cadastramento da Central Única de Regulação do Samu em todo o estado. Silval Barbosa obteve ainda a  liberação do estudo para providencia de incrementeo do aumento do teto financeiro mensal para unidades do interior do Mato Grosso. Para a Capital do teto atual de R$ 132 milhões ao ano o Ministério autorizou um aumento de mais R$ 22 milhões passando para R$ 154 milhões ao ano.

Também foi anunciado, segundo Vander Fernandes, a liberação de recursos na ordem de R$ 45 milhões para reformas e ampliações de unidades de Cuiabá e Várzea Grande com ambrangência para todos os municípios do Vale do Rio Cuiabá.

Outro assunto abordado pelo governador Silval Barbosa e o secretário de Saúde Vander Fernandes com o ministro Padilha foi a abertura do curso de medicina nas universidades de Sinop e Rondonópolis, além da de Cáceres.

O secretário Vander Fernandes informou que o governador Silval obteve ainda do ministro Padilha o apoio “incondicional” para implantação do programa de residência médica nos hospitais regionais, a exemplo do de Cáceres.

Secom

Responder

comment-avatar

*

*