Rio Araguaia pode secar em 40 anos, aponta estudo ambiental

Um estudo divulgado nessa terça (9) pela Delegacia do Meio Ambiente do Estado de Goiás (Dema) aponta que o rio Araguaia, que divide os estados de Mato Grosso e Goiás, na região chamada de Vale do Araguaia, poderá secar dentro de 40 anos. A análise foi realizada no mês de julho, na alta temporada de exploração de praias nas duas margens dos estados.

O levantamento do órgão foi realizado nos baciões localizados em três pontos do rio nas regiões de Aruanã, Britânia e Jussara, distante 190 km de Barra do Garças. Nos locais, o alto índice de desmatamento causado pela ação do homem provoca danos que poderão ser irreparáveis. Os desmates são provocados a fim de dar vazão às lavouras.

De acordo com o delegado Luziano Carvalho, titular da Dema e responsável pelo trabalho, o que chamou a atenção foi o fato de encontrar pivôs (sistema de agricultura irrigada) em nascentes de rios e dentro da mata, além de desvio dos cursos de afluentes do Araguaia.

Ainda conforme o delegado ambiental, várias nascentes do rio Araguaia estão secando, o que poderá, nos próximos 40 anos, causar o desaparecimento, comprometendo, assim, o abastecimento do Araguaia. Luziano informou que vai trabalhar em busca de soluções para evitar o desastre natural.

Embora seja um rio predominantemente mato-grossense, pois nasce dentro do Estado, na região do alto Taquari, poucas ações são desenvolvidas pelo Governo para garantir a preservação do Araguaia, que é um dos maiores rios do Brasil, além de cercar a maior ilha fluvial do mundo, a Ilha do Bananal. A maioria das ações é tomada pelo governo de Goiás, que entre os meses de junho e julho, época de ocupação das praias, lança campanhas de prevenção e orientação voltada para os turistas que visitam os locais. (Com informações do DM/GO). RD News / FRANCIS AMORIM

Responder

comment-avatar

*

*