Riva quer construção de malha viária de Água Boa até Belém


Incluir no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) a construção de malha ferroviária ligando o município mato-grossense de Água Boa até Belém (PA). Essa é a proposta do presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PSD), que foi debatida durante audiência pública realizada na sexta-feira (27), em Porto Alegre do Norte. O objetivo é permitir o acesso do transporte de grãos, por meio do Porto de Bacarena (PA).

O peessedista apresentou na semana passada, a indicação que foi encaminhada à presidente da República, Dilma Rousseff (PT), ao governador Silval Barbosa (PMDB) e toda bancada federal de Mato Grosso para avaliar a viabilidade da obra de infraestrutura.

“Essa ferrovia a ser construída traduz uma necessidade de ligação à região nordeste de Mato Grosso, com uma área a ser hoje ocupada pela agropecuária, com mais de três milhões de hectares, sendo ainda uma ideia bastante clara de integração com a região norte do Brasil. Partindo de Água boa, a obra atenderá toda a região Araguaia do Estado, bem como os municípios vizinhos de Tocantins, tornando uma espinha dorsal de transporte tanto dos produtos oriundos da agricultura, agropecuária e do setor extrativista mineral e vegetal”, argumentou Riva.

Com a inclusão no PAC para a construção da malha ferroviária ligando Água Boa à Belém, Mato Grosso seria contemplado com a infraestrutura necessária para o transporte de produção, garantindo o desenvolvimento econômico e social para a população.

Durante a audiência pública realizada em Porto Alegre do Norte para debater as BRs-158, 080 e 242, além da ferrovia Leste ao Oeste, o assessor parlamentar Nelson Salim Abdala, representando o presidente da Casa de Leis na oportunidade, explicou sobre a importância da obra para o Estado. “Essa ferrovia pode ter muita rentabilidade para o Estado, teremos várias empresas estrangeiras interessadas em investir. Completando com outras ligações que Mato Grosso precisa receber, resolveremos estes problemas de escoamento, o que resulta em melhoria na arrecadação”, defendeu durante seu discurso.

Salim afirmou que a ferrovia reembolsa inclusive o produtor, diminui os custos para os municípios e promove o desenvolvimento do Estado. “Toda obra de infraestrutura é necessária, mas existem algumas que são estruturantes e resultam em melhorias. O governo federal tem se empenhado na ampliação da BR –163, que beneficia apenas dois municípios e três distritos do Pará. Já em Mato Grosso, seria mais importante à atenção para a ferrovia ligando Água Boa à Belém, que receberá grandes navios para a exportação”.

Presidente da Associação Mato-Grossense das Áreas Emancipandas e Anexandas (Amaea), o assessor parlamentar também lembrou na audiência pública, a necessidade de criar mais municípios no Estado. “Existem as regras que estão em discussão na Câmara Federal para criar novas cidades, o que em Mato Grosso é viável, pois as localidades são rapidamente povoadas. Espigão do Leste, por exemplo, imediatamente já seria igual ao município de Querência. Precisamos fazer com que nossos sonhos se tornem realidade”, lembrou.

Responder

comment-avatar

*

*