Riva sugere que Itamaraty participe nas buscas por pilotos

O deputado estadual, José Riva (PSD), pediu que o governo brasileiro tome medidas urgentes e que se empenhe nas buscas do pilotos Evandro Rodrigues de Abreu e do copiloto Rodrigo Frais Agnelli que foram sequestrados no dia 20 de setembro no aeroporto de Pontes e Lacerda (a 443 quilômetros da capital). Riva defendeu que a energia que é mandada para o país vizinho seja cortada, se necessário. Os parentes e amigos dos sequestrados realizaram uma manifestação nesta quinta-feira (09), em frente ao Aeroporto Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande.
 
“Nós precisamos pressionar o governo da Bolívia para que eles encontrem os pilotos. Se possível, que a gente ameace cortar a energia que é enviada para lá. Queremos empenho deles também para encontrar os pilotos o quanto antes, é um país pequeno, dá para descobrir fácil, é só ter vontade”, sugere o deputado.
 
Riva afirma ter informações de que os pilotos estão vivos: “Temos informações de pessoas que conhecem a realidade da Bolívia. O povo de lá é muito pacífico, um assessor meu conversou com um irmão de um boliviano e ele afirmou que eles não matam, é algo difícil de acontecer. É preciso ter muita cautela para não colocar os pilotos em risco. A decisão de deixar de pressionar nas buscas pelo avião é isto, pois se eles se sentirem ameaçados podem fazer mal aos pilotos”.
 
Uma comissão de deputados da Assembleia Legislativa deve ir até Santa Cruz de La Sierra, Bolívia, até a próxima terça-feira (14) ou quarta-feira (15) para conversar com as autoridades do país vizinho: “Queremos o apoio do governo boliviano e do Itamaraty para tirar eles de lá e desta situação. A busca principal é dos pilotos e não do avião, não tenho nem vontade de reaver a aeronave. O certo agora é guardar as informações e não divulgar, para não atrapalhar as investigações”, explica o deputado.
 
“Não podemos deixar este fato cair no esquecimento. Ninguém fala nada, já são 19 dias que meu irmão e o Rodrigo estão desaparecidos e pouca coisa tem sido feita. Nós viemos aqui para fazer um apelo, até para a população, tudo é válido nesta hora. Estamos apavorados, é muito tempo que eles estão lá, mas acreditamos que eles estão vivos. Pedimos mais empenho para as autoridades”, disse Alvino Cássio que é piloto e irmão de um dos sequestrados.
 
Surgiu até uma hipótese de fazer um apelo durante o jogo entre a seleção olímpica brasileira e a Bolívia, que acontece na próxima sexta-feira (10), em Cuiabá, como forma de divulgar o caso nos dois países. Porém, o Olhar Direto apurou junto ao presidente da Federação Mato-grossense de Futebol, Helmute Laswich, que é difícil que algo seja liberado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Olhar Direto / WESLEY SANTIAGO

Responder

comment-avatar

*

*