Rodovias são bloqueadas em MT contra falta de segurança na fronteira

Protesto é realizado em trevo das BRs 174 e 070, perto de Cáceres.
Eles reclamam do número de carros roubados levados para a Bolívia.

Em protesto contra a falta de segurança na região da fronteira com a Bolívia, moradores de Cáceres, a 250 km de Cuiabá, bloquearam o trevo das BRs 174 e 070, entre Cáceres e Pontes e Lacerda, a 483 km da capital, no trecho que dá acesso a San Matias, na Bolívia, nesta segunda-feira (3). Eles reclamam do alto indíce de roubos e furtos de caminhonetes e até tratores na região. Esses veículos seriam levados para a Bolívia e legalizados naquele país, de acordo com o prefeito de Cáceres, Francis Mares Guia. A previsão é que o protesto termine somente no início da noite de hoje. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que agentes estão no local para orientar os motoristas, porém, nenhum veículo está passando pelo bloqueio.

O prefeito disse que a intenção é evitar a desativação de quatro destacamentos do Exército Brasileiro e aumentar o efetivo do Grupo Especial de Fronteira (Gefron) na região. “Queremos que o governo volte a ter o destacamento na comunidade do Limão”, afirmou, se referindo à desativação do posto do Gefron que ficava na BR-070.

Nesta terça-feira (4), deve ser realizada uma reunião com as autoridades bolivianas para discutir a questão. “Precisamos sensibilizar as autoridades bolivianas para que não aceitem mais carros do Brasil, a partir de um acordo bilateral”, defendeu.

O secretário de Governo de Cáceres, Washington Calado, alegou que, somente na última semana, três tratores foram furtados de fazendas da região. “Antes roubavam mais caminhonetes nas cidades, mas agora foram para as fazendas e os produtores rurais não estão mais conseguindo fazer o seguro dos veículos, porque as seguradoras não querem aceitar”, contou.

No ano passado, foi constatada a circulação de 5.188 veículos de proprietários brasileiros na Bolívia. A Polícia Civil tem indícios de que pelo menos outros seis mil veículos brasileiros ainda não identificados estejam em circulação na Bolívia, mas já conseguiu repatriar 397 deles, sendo 85 do estado de São Paulo e 55 de Mato Grosso. Mato Grosso tem mais de 700 quilômetros de fronteira seca com a Bolívia.

Responder

comment-avatar

*

*