Rondonópolis é referência para pacientes da Região Sul

Remédios são gratuitos e atendem pacientes de 19 municípios

DA REDAÇÃO

O tratamento para portadores do HIV e AIDS disponibilizado pela rede municipal de saúde é referencia na região Sul de Mato Grosso. Pacientes de 19 municípios são atendidos gratuitamente na cidade, que disponibiliza desde testes rápidos realizados nos Centros de Testagem e Aconselhamento – CTA, e nos Postos de Atendimento a Família – PSF. O exame é gratuito e, caso o resultado seja positivo, a pessoa é encaminhada para o Serviço de Assistência Especializada em HIV/AIDS – SAE, que conta com uma equipe multidisciplinar para o acompanhamento e a distribuição de medicamentos.

O objetivo do SAE é realizar o atendimento especializado em HIV/Aids aos pacientes diagnosticados soropositivos, os quais necessitam receber atenção continuada. Os pacientes são atendidos por uma equipe formada por médicos, – como infectologistas, ginecologistas, urologistas, pneumologistas – enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais entre outros profissionais de apoio à assistência.

Além desses serviços de apoio, também são disponibilizados medicamentos para iniciar o tratamento. “Desde que o paciente recebe o diagnóstico é encaminhado para o acampamento psicológico, orientado pelos médicos de que existe tratamento e que a pessoa pode viver bem com a doença, desde que siga todas as orientações, como ter uma vida regrada, boa alimentação e tomar os remédios que são distribuídos de graça e se fossem pagos teria um alto valor, inviabilizando muitas pessoas de ter uma vida melhor”, orienta Fernando Bento, enfermeiro Técnico do SAE.

Ele destacou que o diagnóstico precoce, seguido do tratamento especializado com acesso aos medicamentos antirretrovirais e de acompanhamento clínico adequado, com consultas médicas constantes, são os grandes responsáveis pelo aumento da qualidade de vida dos portadores do HIV.

“São tomados todos os cuidados para que no caso de soropositivo a pessoa receba o tratamento necessário, é muito importante que o paciente não desista do tratamento, pois os medicamentos ajudam a aumentar consideravelmente o tempo de vida do paciente”, disse Bento.

Hoje, Rondonópolis atende pacientes de 19 municípios da região Sul de Mato Grosso. Mas, segundo o enfermeiro Fernando, a principal dificuldade é, justamente, com pessoas que moram na cidade, porque muitas têm vergonha de procurar o tratamento e acabam se deslocando para outros municípios, como Cuiabá e, até mesmo, outros Estados.

“Essas pessoas temem o preconceito da população, não querem ser vistas e nem reconhecidas como portadores da doença”, lamentou, acrescentando que é preciso quebrar o preconceito, pois “a imagem da AIDS modificou-se completamente com a chegada de remédios mais eficazes para o tratamento”.

O enfermeiro ressaltou, ainda que, atualmente, a qualidade e tempo de vida aumentaram significativamente. “Pode-se dizer até que, graças à medicação existente, se transformou numa doença de certa forma crônica e controlável, o que permite a pessoa portadora do vírus levar uma vida normal”. assinalou. Mídia News

Endereço

Os testes podem ser realizados nos CTA disponíveis em PSFs. O SAE de Rondonópolis fica na Rua Frei Servácio, s/n, esquina com a Rua Pedro Guimarães, bairro Santa Cruz. Mais informações 3411-5077.

Responder

comment-avatar

*

*