Safra de grãos em Mato Grosso deve ultrapassar 35 milhões de toneladas

Resultado deixa estado como maior produtor nacional de grãos.
Milho deve registrar maior crescimento em produção, dizem IBGE e Conab.

Por dia são escoadas cerca de 100 mil toneladas de grãos no Porto de Paranaguá. (Foto: Divulgação Porto de Paranaguá)Estado deve ser o maior produtor de grãos (Foto:
Divulgação Porto de Paranaguá)

A safra mato-grossense de grãos deve superar em 2011/12 os 35 milhões de toneladas, estimaram nesta quinta-feira (8) a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado consolida a unidade federada como a maior produtora de grãos do país neste ano agrícola. Problemas com a estiagem nos estados do sul contribuíram para baixar a produção no Paraná e Rio Grande do Sul.

Apesar de utilizarem metolodogias diferentes ambos os representantes do governo convergem em números semelhantes para o volume de grãos que deverá ser retirado do campo neste ano. Para o IBGE, 35,1 milhões de toneladas, enquanto para a Conab outros 35,4 milhões de toneladas.

O destaque está sobre a cultura do milho que deve registrar o maior crescimento percentual na produção, quando comparado com a safra 2010/11. De acordo com o IBGE, a produção total do cereal em Mato Grosso deve somar 10,6 milhões de toneladas, volume 37,5% superior ao do ano passado. Apenas a segunda safra do produto deve crescer 33,9%, com mais de 10 milhões de toneladas.

Elton Mendes Fior, da Supervisão de Pesquisas Agropecuárias do IBGE em Mato Grosso, destacou que o crescimento do milho está associado ao bom momento da cadeia. “O grande diferencial foi o milho. O regime de chuvas tem sido bem melhor que do ano passado. O preço está bom no mercado e muita gente voltou a plantar. Alguns produtores que se arriscaram a semear algodão retornaram ao milho”, expressou o representante.

Já os números da Conab apontam para uma produção total de milho na ordem de 10,6 milhões de toneladas. O volume representa 40,3% a mais sobre a safra 2010/11 quando foram colhidos 7,6 milhões de toneladas. Para a safrinha, a Companhia Nacional de Abastecimento indica uma produção de 9,9 milhões de toneladas, ou 36% a mais que o ciclo anterior.

Presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Carlos Fávaro explicou que além do fator mercado a ‘recuperação’ da cultura em relação aos anos anteriores também favoreceu a evolução nesta safra. Em 2011/12 cresceu a área reservada ao cereal: 1,8 milhão de hectares a 2,4 milhões de hectares, segundo a Conab.

“A cultura recuperou parte do que tinha perdido em função do atraso no plantio da soja. Ano passado, o plantio da soja ocorreu mais cedo, com a janela ideal e permitiu que a colheita avançasse. Agregado a isso, o valor atrativo, a conjuntura [também favoreceu o interesse pelo milho]”, considerou.

Ganhos
Na lista das culturas avaliadas, todas as consideradas de maior expressão no estado devem contabilizar ganhos de produção em 2011/12. A soja, por exemplo, deve crescer em níveis de 5,9% a 8% frente a 2010/11. A produção estimada da oleaginosa supera 22 milhões de toneladas tanto para Conab quanto IBGE.

Para a Conab, Mato Grosso registrou o maior incremento de área para esta cultura: ampliou em 531 mil hectares o tamanho da safra. Passou de 6,4 milhões de hectares para 6,93 milhões de hectares.

As estimativas de safra divulgadas nesta quinta-feira apontam produção de algodão na ordem de 2,5 milhões de toneladas (IBGE) e 2,6 milhões de toneladas (Conab). A safra de cana de açúcar pode somar 16,5 milhões de toneladas, segundo o IBGE

 G1 MT

Responder

comment-avatar

*

*