Seca aumenta incidência de doenças

Nesta época do ano é fácil perceber o aumento da incidência de alergias na população. A seca contribui para um crescimento de até 40% na ocorrência de doenças respiratórias. De acordo com Jaime Rocha, infectologista do laboratório Cedic Cedilab, diversos fatores podem explicar este aumento.
“A diminuição da umidade do ar e o próprio frio podem funcionar como um irritante para as vias aéreas. Temos, também, a inversão térmica, que é responsável pelo acúmulo de poluentes na atmosfera”. Além de fatores climáticos, que por vezes são determinantes no surgimento de doenças, existem agentes desencadeantes chamados de alérgenos.
Quando indivíduos sensíveis entram em contato com esses agentes – ácaros, baratas, fungos, fumo e poluentes – a resposta alérgica é imediata. “É preciso ter atenção. O clima contribui para o surgimento das alergias, mas os alérgenos, que podem ser inspirados quando a pessoa entra em contato com animais, fungos e poeira domiciliar, são grandes vilões para o desenvolvimento de doenças respiratórias”, explica Rocha. Entre as alergias mais comuns estão a asma, rinite, bronquite e sinusite.
O que fazer para evitar alergias:
·         Forre colchão e travesseiro com capa impermeável;
·         Retire tapetes e carpetes da casa, principalmente do quarto das pessoas alérgicas;
·         Limpe a mobília da casa com pano úmido mais de uma vez por semana;
·         Retire as cortinas e substituindo-as por persianas, que são facilmente limpas com pano úmido ou, em caso de cortinas de tecido leve, lave-as a cada 15 dias, no máximo;
·         Mantenha sempre a casa arejada e ensolarada;
·         Evite estofados recobertos com tecido;
·         Os aspiradores de pó utilizados devem possuir filtro HEPA;
·         Evite ter animais de pelo como cão, gato e outros ou evite a presença dos mesmos dentro de casa ou no quarto do paciente;
·         Não fume dentro de casa;
·         Cobertores devem ser substituídos por edredons que possam ser lavados quinzenalmente;
·         Evite, no quarto do paciente, objetos que acumulem poeira como livros, revistas, brinquedos de pelúcia, caixas e quadros;
·         Evite cheiros fortes no domicílio como de tintas, solventes, inseticidas, produtos de limpeza etc.

 

Responder

comment-avatar

*

*