Secopa acusa CAB Cuiabá de “travar” entrega de trincheira

Essa não é a 1ª vez que a concessionária é apontada como a razão para o ritmo lento de avanço da obra

LISLAINE DOS ANJOS
DA REDAÇÃO

O secretário extraordinário da Copa do Mundo (Secopa), Maurício Guimarães, responsabilizou a concessionária de água e esgoto da Capital, CAB Cuiabá, pela demora na conclusão da obra da trincheira do Santa Rosa, na Avenida Miguel Sutil.

“A CAB demorou meses para remover uma adutora [de água]. Há seis meses falaram que, em um mês, retirariam todas as adutoras mas, até agora, o problema não foi resolvido, razão pela qual a obra ainda não foi entregue”, disse.

As declarações foram feitas durante audiência realizada na Assembleia Legislativa, na tarde de quarta-feira (12), quando a pasta prestou explicações a respeito das irregularidades apontada em um relatório elaborado pelo Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea) nas obras que estão sendo executadas pelas pasta para o Mundial de 2014.

Essa não é a primeira vez que a concessionária é apontada como a razão para o ritmo lento de avanço da obra da trincheira do Santa Rosa, considerada uma das mais atrasadas do pacote de mobilidade urbana em Cuiabá.

“Há seis meses falaram que em um mês retirariam todas as adutoras, e até agora o problema não foi resolvido, razão pela qual a obra ainda não foi entregue

De acordo com a Secopa, a obra já se encontra com um atraso de oito meses devido ao impasse com a CAB Cuiabá. Problemas de remoção da rede de energia elétrica, que fica a cargo da Rede Cemat, já estariam sendo resolvidos.

“A Cemat já mandou para nós um cronograma de remoção de todas as interferências que lhe cabem até o final de abril. Em relação à CAB, ainda há uma indecisão. Ela segue sem data definida para remover as adutoras”, disse Guimarães.

Prazo apertado

A trincheira já havia tido seu cronograma de entrega reajustado para dezembro do ano passado e, na sequência, para março deste ano.

Agora, a Secopa “corre contra o tempo” para concluir a obra antes do início da Copa do Mundo, principalmente para garantir o acesso livre ao hotel que deverá ser a “casa” das delegações da Fifa e das seleções, o Gran Odara, na Perimetral.

“Eu não chego e nem tiro ninguém de lá [do Gran Odara] se essa obra não estiver pronta”, reclamou.

Guimarães disse que um novo prazo de conclusão deverá ser apresentado pelo Governo do Estado para essa e demais obras apenas depois que for encerrado o período chuvoso.

Estamos num momento em que não podemos mais dar datas que não serão cumpridas. Não vamos dar dia de inauguração”

“Estamos num momento em que não podemos mais dar datas que não serão cumpridas. Não vamos dar dia de inauguração. Todas as obras, depois do período chuvoso, terão seus cronogramas realinhados e serão entregues antes da Copa. Elas estão em fase final de execução e estarão aptas, prontas para serem utilizadas durante a Copa do Mundo”, disse.

A obra

Com 520 metros de extensão, a Trincheira do Santa Rosa deverá revitalizar o fluxo de trânsito de diversos bairros da Capital, como o Goiabeiras, Duque de Caxias e o Santa Rosa.

Orçada em R$ 26,2 milhões e executada pela Camargo Campos S.A. Engenharia e Comércio, a obra integra o convênio de R$ 165,7 milhões firmado entre o Governo do Estado e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para a execução de obras de Travessia Urbana na Capital.

O pacote engloba, além da obra no Santa Rosa, a construção das trincheiras Jurumirim/Trabalhadores e Verdão, os viadutos do Despraiado e Dom Orlando Chaves/FEB, bem como o Complexo Viário do Tijucal.

As obras são executadas nos trechos urbanos de três rodovias federais (BRs 364/163/070), que cortam a Grande Cuiabá pelas avenidas Miguel Sutil, Fernando Corrêa da Costa e FEB. Via Olhar Direto

Responder

comment-avatar

*

*