Sequestradora de bebê em Cuiabá é intimada a responder por tráfico de órgãos em Brasília

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Tráfico de Pessoas da Câmara Federal irá ouvir Jucione dos Santos, que confessou na semana passada o sequestro do bebê Nicolas no bairro Pedra 90. A mulher contou ao delegado Gianmarco Paccola que a criança seria morta para ter os órgãos comercializados no exterior.

Ela será ouvida em uma data ainda não definida, porque a Polícia Civil pretende fazer algumas diligências em busca de uma suposta rede de tráfico de órgãos e crianças. O pedido da oitiva partiu do deputado federal do estado do Amazonas, Arnaldo Jordy (MD/MA), que classificou o caso como gravíssimo.

O delegado da Polícia Civil, Gianmarco Paccola da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), que acompanha o caso e busca por mais uma pessoa que está envolvida no sequestro, contou que espera ainda esta semana encontrar esse comparsa que ofereceu os R$ 35 mil pelo sequestro da criança.

“Por enquanto não temos nada de novo, mas estamos em busca desse homem que seria a nossa peça chave para descobrir a rede de tráfico de órgãos. É um caso que nos deixa muito preocupado porque sabemos que a cada dia que passa mais pessoas podem se tornar vítima”, disse o delegado.

Em pontos da investigação a Polícia Civil de Mato Grosso está sendo ajudada pela polícia da Bahia, onde Jucione teria mais três filhos, que vivem com a mãe. Além dessas crianças que moram no Nordeste do Brasil, estava com ela outra menina de oito anos, com registro do Rio de Janeiro. A polícia também investiga se essa criança é sua filha legítima ou faz parte de um tipo de crime praticado por ela mesmo. Olhar Direto

Responder

comment-avatar

*

*