Servidor e ex-servidor do Detran-MT são presos suspeitos de esquema

São 2 mandados de prisão preventiva e 4 mandados de busca e apreensão.
Um dos presos é ex-coordenador de fiscalização e ex-diretor de Ciretrans.

Operação prendeu servidor e ex-servidor do Detran-MT e apreendeu materiais (Foto: Assessoria/Polícia Civil de Mato Grosso)Operação prendeu servidor e ex-servidor do Detran
e apreendeu materiais
(Foto: Assessoria/Polícia Civil de Mato Grosso)

Um servidor e um ex-servidor do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) foram presos em uma operação policial nesta quinta-feira (3) suspeitos de estarem envolvidos em fraudes na transferência de documentos de veículos. De acordo com a Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), são dois mandados de prisão preventiva e quatro mandados de busca e apreensão.

A investigação da Defaz e do Detran faz parte da Operação ‘Karcharias’ (tubarão, em grego), que apura crimes na gestão pública e corrupção. Segundo a Polícia Civil, os dois servidores teriam relação com outros dois homens que foram presos no dia 17 de agosto em Chapada dos Guimarães, a 65 km deCuiabá. Naquela ocasião um ex-servidor do Detran e um vendedor de carros foram presos ao tentarem subornar funcionários da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran).

O cumprimento dos mandados de prisão/busca desta quinta-feira foi feito no Bairro Cidade Alta, em um condomínio no Bairro Parque das Nações e no Bairro Terra Nova em Várzea Grande, região metropolitana da capital mato-grossense. Também foram feitos mandados de busca e apreensão na casa dos outros dos envolvidos que tinham sido presos no dia 17 de agosto.

Segundo a Polícia Civil, foi preso um homem, ex-coordenador de fiscalização do Detran e ex-diretor de Ciretrans. A segunda prisão envolve um servidor do Detran-MT. O grupo oferecia dinheiro para servidores em troca de ‘agilizar’ transferência e emissão de documentos para pessoas que não eram os verdadeiros proprietários dos veículos.

“Eles chamam de ‘pula-pula’, que é colocar o procedimento na frente, dar preferência. Esse servido é chamado também de VIP. Pegam o procedimento, vão ao Ciretran pagam a taxa e depois pagaria para o chefe do Ciretran e saíram na hora com o documento, por isso é ‘pula- pula'”, explicou o delegado de Chapada dos Guimarães, Diego Alex Martiminano.

Na casa dos envolvidos os policiais apreenderam notebooks, documentos e outros bens que ainda serão avaliados. Eles vão responder pelos crimes de corrupção ativa e associação criminosa. Já o servidor também responderá um processo administrativo no Detran. Denise SoaresDo G1 MT

Responder

comment-avatar

*

*