Serys Slhessarenko é candidata ao Senado em 2014 e deve deixar o PT

A ex-senadora Serys Slhessarenko, alijada da disputa pela reeleição nas eleições de 2010, já colocou o pé na estrada e quer percorrer a maioria dos municípios de Mato Grosso a partir deste mês “na condição de pré-candidata ao Senado” no pleito de 2014. Detalhe: ela cogita deixar o Partido dos Trabalhadores (PT) para viabilizar seu projeto político pela única vaga de senador que estará em jogo nas próximas eleições gerais.

Militante histórica do PT mato-grossense, a professora Serys entrou para a história política nacional ao derrotar em 2002 o ex-governador Dante de Oliveira (PSDB), que concorria ao Senado quando acabara de sair de sete anos de governo avaliado avaliado positivamente, e por ter cumprido um mandato de senadora com rara coerência ideológica, a despeito de a sigla petista ter mudado de rumo por conveniências e acordos nada republicanos.

Apesar da ligação histórica com o PT e de suas excelentes credenciais como deputada estadual, senadora e como candidata a cargos majoritários “por sacrifício” (quando o partido não tinha expressão e precisava lançar candidaturas próprias nos grandes municípios, capitais e nos Estados), Serys se viu acuada na processo eleitoral de 2010, quando o grupo do então deputado federal Carlos Abicalil decidiu lançá-lo candidato a senador.

Com o controle da executiva estadual petista, Abicalil manobrou habilmente para viabilizar a sua candidatura ao Senado. Serys perdeu o bonde na ocasião, porque não trabalhou pelo equilíbrio de forças na direção regional e foi solapada na disputa interna. Contudo, a manobra de Abicalil foi um tiro pela culatra, pois tanto ele quanto Serys saíram derrotados das urnas.

Para o Olhar Direto, em entrevista exclusiva concedida há pouco no aeroporto de Brasília, Serys confirmou que percorrerá os municípios para defender seu projeto de ser senadora em 2014, porque acredita ter feito “um bom trabalho em termos de repercussão municipal e em outros diversos setores da sociedade mato-grossense”.

Provocada pela reportagem sobre “ficar ou deixar a sigla petista”, Serys fez a seguinte observação: “Eu quero ser candidata a senadora pelo PT, mas resta saber se o partido me quer como candidata”.

Responder

comment-avatar

*

*