Silval cobrará compensações do governo federal para cidades do Nortão

O governador Silval Barbosa (PMDB) declarou, ontem à tarde, para prefeitos do Nortão, que estará empenhado em auxiliar os municípios que serão atingidos por construções de usinas hidrelétricas e minimizar os impactos nas áreas de saúde, educação, habitação, segurança com a “vinda”de milhares de pessoas que virão de outros Estados trabalhar nas usinas. Os prefeitos de Sinop, Juarez Costa; de Alta Floresta, Asiel Bezerra; Colíder, Nilson Santos; entre outros, estiveram no Palácio Paiaguás pedindo ajuda na cobrança ao governo federal em relação as compensações devidos aos empreendimentos.

O secretário de Governo de Sinop, Silvano Amaral, disse, ao Só Notícias, que o governador se mostrou favorável ao pleito e que nas próximas semanas deve ir a Brasília e aproveitará para fazer cobranças em relação as compensações. O secretário afirmou que os municípios precisam de contrapartida do governo federal, pois os impactos serão grandes. “Os municípios afetados pelas usinas precisam investir em saúde, educação, segurança e, para isso, é necessário o auxílio do governo para amenizar o problema”.

O governador foi procurado pelos prefeitos para ser um porta-voz dos prefeitos nesta busca por recursos. Como os empreendimentos são organizados pela União, é de responsabilidade do governo federal os investimentos. O valor dos recursos pretendidos ainda não foi estipulado. “Queremos que o governador apresente a associação criada pelos municípios e leve nossas propostas de investimentos. Isso ajudaria bastante”.

Juarez é o presidente da Associação dos Municípios Impactantes por Usinas do Norte de Mato Grosso (AMIU), que desde o início de fevereiro, tem se mobilizado para buscar compensações e elaborar uma pauta de sugestão comuns para todos os municípios atingidos pela construção de usinas. Fazem parte os municípios de Sinop, Alta Floresta, Apiacás, Carlinda, Claudia, Colíder, Itaúba, Nova Canaã, Nova Monte Verde, Nova Santa Helena e Paranaíta.

Conforme Só Notícias já informou, estão autorizadas construções de cinco usinas para ampliar o fornecimento de energia elétrica para alguns estados. A Usina de Colíder, que estava em construção (e acabou sendo paralisada devido a incêndio em canteiro de obras há cerca de 40 dias), tem previsão para entrar em funcionamento em 2015 e gerar 342 megawatts de energia.

A Usina Hidrelétrica Sinop ficará a 70 quilômetros do município e gerará 460 MW em uma área de 33,7 mil hectares com impactos nos municípios de Cláudia, Sorriso, Ipiranga do Norte e Itaúba. A previsão de investimento é de Sinop R$ 2 bilhões.

A Usina Foz do Apiacás também tem previsão para entrar em funcionamento em 2015 e deverá gerar 275MW. Já a Usina Magessi irá gerar 53 MW. A Usina Hidrelétrica Teles Pires, que será construída entre Paranaíta no Mato Grosso e Jacaraenga no Pará, será a maior do complexo, com capacidade instalada de 1.820 megawatts (MW) de potência. Só Noticias

Responder

comment-avatar

*

*