Teto de obra de R$ 83 milhões desaba com vento

Parte do teto da nova ala de desembarque do Aeroporto Internacional Marechal Rondon, em Várzea Grande, não resistiu aos ventos e à chuva que caiu no final da tarde desta segunda-feira (1) e desabou.

Segundo testemunhas que presenciaram o incidente, em menos de cinco minutos a estrutura metálica se soltou e caiu. 

Um dos taxistas que trablaha no local afirmou que, ao perceber que parte do teto iria desabar, várias pessoas começaram a se afastar.

“Houve um início de tumulto, mas todos correram a tempo de evitar uma tragédia. Nós mesmos tiramos nossos carros do local para não ficar no prejuízo”, relatou um dos taxistas.

Placas metálicas grandes, com peso aproximado de dez quilos, também se desprenderam e foram arremessadas há cerca de 20 metros.

A obra de ampliação do aeroporto faz parte do pacote da Copa do Pantanal, tocado pelo governador Silval Barbosa (PMDB), e custará R$ 83 milhões aos cofres públicos.

A ala de desembarque foi executada por um consórcio liderado pela empresa Engeglobal Construções Ltda., do empresário Robério Garcia.

Até agora, o consórcio Marechal Rondon já recebeu R$ 61 milhões, segundo levantamento feito pelo MidiaNews junto ao Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças (Fiplan) de Mato Grosso.

O prazo para a conclusão da obra de reforma e ampliação do aeroporto expirou no último dia 23 de agosto, sem que o consórcio responsável pelo serviço cumprisse com o contrato firmado com o Governo do Estado.

Semana passada, o consórcio pediu à Secopa prorrogação do prazo de execução da obra.

Contrato e aditivos

Inicialmente orçada em R$ 77.289.283,09, a obra de reforma e ampliação do terminal teve o contrato assinado em dezembro de 2012.

Inicialmente, tinha prazo de conclusão em 8 de março deste ano – 450 dias de execução da obra e 510 dias para encerramento do contrato.

Porém, desde o início dos trabalhos, o projeto sofreu sete aditivos – sendo cinco para reajuste de preço e duas para aumento do prazo de conclusão do projeto.

O último aditivo elevou o valor da obra para R$ 83,4 milhões e foi assinado em 29 de maio deste ano.

O pior do país

No início de maio deste ano, o Aeroporto Marechal Rondon voltou a ser considerado o pior do país pelos passageiros, de acordo com levantamento da Secretaria Nacional de Aviação, da Presidência da República.

A nota do aeroporto – dada em uma escada de 1 a 5 – foi de 3,26.

Essa é a 5ª vez que o levantamento é feito em 15 terminais que receberam turistas durante a Copa. Midia News

Responder

comment-avatar

*

*