Tio e sobrinho são atacados por onça e fogem a cavalo para pedir socorro no Pantanal

Isac Araújo Pimenta de Lima, de 23 anos, foi o primeiro a ser atacado pelo animal e ficou ferido na perna direita. Ele precisou levar pelo menos 20 pontos.

Oséias foi atacado ao socorrer sobrinho e levou 20 pontos no braço Tio e sobrinho receberam alta médica na manhã ontem (4), depois de serem atacados por uma onça, na última sexta-feira (1), em uma fazenda na região do Pantanal. Isac Araújo Pimenta de Lima, de 23 anos, foi o primeiro a ser atacado pelo animal e ficou ferido na perna direita. Ele precisou levar pelo menos 20 pontos.   O tio, Oséias Isaque Araújo, 43, precisou de 20 pontos no braço e cinco na perna direita para suturar os ferimentos. Eles estavam internados no Hospital de Corumbá. Agora, pelas próximas três semanas, ficarão na casa de familiares para recuperação e sequência do tratamento, que prevê, além da medicação controlada, sessões de troca de curativos e fisioterapia.   Os dois revelaram detalhes no ataque ao site Diário Corumbaense. “Fomos tirar o gado de um arrendamento e, chegando lá, tinha uns urubus numa área de mato e fui olhar porque sempre tem gado que morre. Desci do cavalo e falei pra ele [para o tio] que achava que era onça. Quando cheguei lá perto, ela saiu e veio em mim. Gritei que era onça mesmo, corri, pulei numa árvore e ela veio e pegou minha perna. Ele viu, veio ajudar e ela atacou ele”, contou Isac.   Oséias Araújo, 43, tio do rapaz, disse não saber como eles escaparam da onça. Segundo a vítima, a mordida rompeu um ligamento, que foi reconstituído pelos médicos. “Na hora que ela bateu a boca eu golpeei o braço e escapei não sei como. Pegou uma unha dela na perna, conseguimos não sei como escapar e saímos ‘vazado’ a cavalo. Andamos uns quarenta ou cinquenta minutos para chegar até a sede e chamar um avião. Se desmaiasse, tinha morrido”, lembrou Oséias, destacando que os dois sentiram muita dor durante a cavalgada para pedir socorro e os ferimentos sangraram bastante. “Não tinha jeito, tinha que ir. Ou montava a cavalo, ou morria”, frisou. 24 horas news 

Responder

comment-avatar

*

*