Treinamentos do PAR atendem 19 municípios em Mato Grosso

A deriva de defensivos agrícolas é uma das questões mais trabalhadas pelo programa. Encerramento dos treinamentos ocorre nesta quinta, em Nova Mutum Ascom Aprosoja

 Orientar e disseminar as boas práticas agrícolas entre produtores rurais estão no cerne do Programa de Aplicação Responsável (PAR). Criado pela empresa Dow AgroSciences em parceria com Universidade Estadual Paulista (Unesp), Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado do Mato Grosso (Aprosoja) e Fundação Mato Grosso, o programa tem reunido públicos diversos como clientes, comunidade local e acadêmicos em torno da uma causa sustentável. Na quinta (05), às 08h, acontece o evento de encerramento dos treinamentos do PAR, na Escola Técnica Ranchão, em Nova Mutum.

Desde 2010, o programa tem visitado propriedades rurais de Mato Grosso para treinar agricultores, operadores de pulverizador, técnicos e engenheiros agrônomos sobre a aplicação correta de defensivos agrícolas. Os treinamentos do PAR abordam uma série de ações relacionadas à sustentabilidade do agronegócio, como uso correto de Equipamento de Proteção Individual (EPI), descarte de embalagens, condições climáticas adequadas e qualidade na aplicação de defensivos agrícolas. Os participantes têm a oportunidade de assistir a palestras de conscientização e capacitação e desenvolver atividades práticas relacionadas à inspeção periódica de pulverizados (IPP) e redução do risco de deriva.

Treinamentos – Os eventos são realizados com antecedência, em propriedades com facilidade de acesso, preferencialmente no período da manhã. Antes e depois de iniciar a dinâmica, são feitos testes que avaliam os participantes com relação ao conhecimento sobre o assunto, e existe um aumento médio de 77% de acertos no teste realizado após a capacitação em relação aos realizados previamente.

 Todas as aulas práticas contam com o uso de um equipamento desenvolvido pela Dow AgroSciences e a Unesp, conhecido como “simulador de deriva”, que possibilita simular condições reais de vento e tamanhos de gota das aplicações, assim, os participantes podem visualizar o real efeito do uso de cada tipo de tecnologia, de ponta ou pressão, de acordo com a velocidade do vento no momento da aplicação. A deriva de defensivos agrícolas pode afetar culturas sensíveis que estejam próximas da área de aplicação, por essa razão, aeliminação do problema é uma das questões mais trabalhadas no PAR.

Responder

comment-avatar

*

*