Valec licita projeto executivo de ferrovia entre Mato Grosso e Goiás

Projeto corrigirá falhas elencadas pelo Tribunal de Contas da União.
Ferrovia deverá facilitar transporte de cargas entre os estados.


A Valec – estatal do governo federal – lançou na última semana edital para contratação da empresa responsável pela elaboração do projeto executivo para as obras da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste, ou Fico, ligando os estados de Goiás e Mato Grosso. Os 890 quilômetros entre Campinorte (GO) e Lucas do Rio Verde (MT) foram divididos em sete lotes. Conforme a própria empresa, a previsão é que o mapeamento completo dure até um ano e as obras tenham início em 2014.

O projeto executivo conterá estudos mais aprofundados sobre a obra, como topográficos, geológicos, geotécnicos, hidrológicos, além de outros e corrigirá as falhas técnicas elencadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) relativas ao projeto básico da ferrovia, a exemplo de estudos no solo por onde os trilhos vão passar.

O coordenador-executivo do Movimento Pró-Logístico, Edeon Vaz Ferreira, destaca que a realização da licitação anima o setor produtivo em Mato Grosso, estado campeão brasileiro na produção de grãos. “A Fico é uma dos projetos de ferrovia mais atrasados do país. A expectativa inicial da Valec era ter iniciado as obras no fim de 2010. Depois, o prazo passou por sucessivos adiamentos por conta de falhas no projeto básico. Agora, com o projeto executivo, mais detalhado e técnico, acreditamos que finalmente a obra vai ser concretizada”, afirmou o representante.


Em março uma audiência pública em Brasília com representantes do governo federal, Valec, setor produtivo e Tribunal de Contas da União colocou em pauta o andamento das obras da ferrovia, considerada uma das mais importantes para promover a evolução do transporte de cargas entre os dois estados.

À época, o presidente da Valec, José Eduardo Castelo, destacou que a previsão era investir cerca de R$ 45 milhões com a elaboração do projeto.

A entrega das propostas para execução do projeto está marcada para o dia 24 de julho, às 10h, na sede da Valec, em Brasília.

Os lotes
Cada um dos sete lotes possui preço de referência elencado pela estatal. Para o de número 1, com extensão de 115,90 quilômetros entre o município de Campinorte (GO) ao início da ponte do Ribeirão da Anta (km 116+283) no município de Crixás (GO) são R$ 8,1 milhões.

O lote 2 engloba os 124,36 quilômetros entre início da ponte do Ribeirão da Anta em Crixás (GO) ao fim da ponte do Rio Araguaia em Cocalinho (MT). O valor de referência é de R$ 10,7 milhões.

O de número 3, por sua vez, elenca os 142,66 quilômetros entre Cocalinho a Água Boa, no território mato-grossense, com a referência em R$ 9,7 milhões. A partir desta etapa, todas as cidades situam-se na mesma unidade federada.

No lote 4 são 128,90 quilômetros entre Água Boa ao início da ponte do Ribeirão Bonito em Canarana, também em Mato Grosso, em R$ 7,2 milhões.

O lote número 5, cujo preço de referência é de R$ 8,4 milhões, envolve os 130,40 quilômetros entre o início da ponte do Ribeirão Bonito em Canarana ao início da ponte do rio Tamitatoala, em Gaúcha do Norte.

O lote 6 (R$ 7,7 milhões) abrange 115,70 quilômetros entre a ponte do rio Tamitatoala em Gaúcha do Norte ao início da ponte do Ribeirão Grande em Nova Ubiratã.

Para o lote 7 são 131,28 quilômetros ligando o último trecho em Nova Ubiratã até Lucas do Rio Verde. Neste o valor de referência citado no edital é de R$ 9,1 milhões.

A ferrovia
Pelo projeto, a Fico terá quase 900 quilômetros de trilhos entre as cidades de Campinorte, em Goiás, até Lucas do Rio Verde, na região norte de Mato Grosso. Passará por 15 municípios mato-grossenses onde está concentrada uma das maiores regiões produtivas da unidade federada. Os custos estimados atingem os R$ 4 bilhões e a obra tem previsão de começar no segundo semestre de 2013 e ser concluída em 24 meses.

Serão beneficiadas diretamente pela ferrovia em Mato Grosso as cidades de Cocalinho, Nova Nazaré, Água Boa, Canarana, Gaúcha do Norte, Paranatinga, Nova Ubiratã, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Nova Maringá, Brasnorte, Sapezal, Campos de Júlio e Comodoro. g1mt

Responder

comment-avatar

*

*