Valor da produção de MT alcançará R$ 35,84 bi em 2013

O valor bruto da produção agropecuária (VBP) de Mato Grosso deve chegar a R$ 35,84 bilhões em 2013, aumento de 2% em relação a 2012 (R$ 35,16 bilhões). A projeção foi divulgada nesta quinta-feira (20.12) pelo Instituto Mato-grossense e Economia Agropecuária (Imea) e a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato). O VBP é o principal indicador de receita no campo e representa o volume de produção multiplicado pelo preço de mercado.

A participação da soja no VBP de 2013 aumentará para 53%, ante os 43% registrados em 2012. O faturamento da oleaginosa no próximo ano deve alcançar R$ 18,85 bilhões, representando crescimento de 24% em relação a 2012 (R$ 15,21 bilhões). A soja é a cultura com melhor desempenho previsto para 2013. Enquanto a estimativa do VBP para o milho, algodão e a bovinocultura é negativa. O motivo, segundo o superintendente do Imea, Otávio Celidonio, é que 2012 foi um ano excepcional para a agropecuária mato-grossense. “Este foi considerado um dos melhores anos da agropecuária da história de Mato Grosso, por isso será difícil superar estes resultados em 2013, quando a situação inverterá um pouco e teremos um tímido aumento de 2% no VBP da agropecuária, impulsionado principalmente pela soja”, explica Celidonio.

Conforme o presidente do Sistema Famato, Rui Prado, os números demonstram que a soja continua puxando a economia de Mato Grosso para cima. Mas ele alerta: “Não adianta recordes de produção se o estado continuar com a mesma logística para escoar a produção e a quantidade de armazéns insuficiente para atender a demanda. Se isso não mudar, continuaremos perdendo competitividade nas estradas e os produtos que ficam expostos a céu aberto por falta de armazéns”.

No caso do milho, a previsão de retração do VBP é de -22% (de R$ 4,8 bilhões para R$ 3,7 bilhões). Entre as causas para este resultado está a estimativa de queda de 11% na produção e redução de 8% nos preços. No mercado de fibras a expectativa também é de forte retração na produção (-38%) e nos preços (-18%). Em função disso, o faturamento do algodão será negativo em -44%, passando de R$ 4,47 bilhões para R$ 2,49 bilhões.

Em relação às carnes, os custos devem se estabilizar e os preços subirem. No caso do boi, o VBP terá uma tímida redução de -3% no próximo ano, totalizando R$ 6,42 bilhões em receita. Em compensação, o bom desempenho ficará por conta das aves (+4%), pecuária de leite (+2%) e suínos (+9%). Este último, por exemplo, o aumento significativo de 9% no VBP (R$ 789,9 milhões) será em função do crescimento de 6% da produção e 3% dos preços, demonstrando claramente uma retomada deste setor que vinha sofrendo prejuízos por conta dos altos custos de produção.

 sistemafamato.

Responder

comment-avatar

*

*